top of page
Buscar
  • Foto do escritorInês Mota

PQ19 | Workshop e experiência de voluntariado

Eu mal pude conter o meu entusiasmo quando começaram a aparecer informações sobre a Quadrienal de Praga 2019! No momento em que voltei da minha curta visita de 4 dias em 2015, já sabia que ia querer explorar a PQ19 como se não houvesse amanhã.


Da primeira vez, em 2015, estive na PQ apenas como visitante, vivenciando as exposições, pondo um olho orgulhoso no meu projeto que integrou a Student Section, e acompanhando casualmente algumas apresentações e palestras. (Talvez não tão casualmente quanto eu gostaria de admitir ... Na verdade, analisei exaustivamente o programa da PQ15 todas as noites, pesando cuidadosamente as minhas escolhas para o dia seguinte e certificando-me de que não perderia nada que viria a lamentar terrivelmente). Fiquei tão impressionada com tudo o que vi lá que desta vez, em 2019, fiz questão de me envolver mais, conseguindo ficar em Praga por 10 dias - toda a duração do festival!

Quando a organização da PQ19 começou a postar sobre results driven workshops como parte do PQ Studio, candidatei-me para alguns e eventualmente escolhi o "Scaling-up: Transfer your production from a studio to a larger theatre", um workshop de 4 dias liderado por Allan Stichbury e Poe Limkul, que nos propunha trabalhar num projeto nosso originalmente pensado para um palco de pequenas dimensões.


Tendo em consideração o meu interesse pela construcção de maquetes, este workshop foi particularmente atraente para mim especialmente porque também abordava o problema exatamente oposto do que pude observar durante o meu estágio em 2017 com a Red Ladder Theatre Company em Leeds, Reino Unido: como reduzir as dimensões de uma produção para facilitar digressões em locais pequenos e não convencionais. Já me tinha confrontado com os problemas e oportunidades que a redução pode criar e estava curiosa para descobrir como seria possível aumentar a escala de uma produção sem cometer o erro de apenas "preencher" o espaço com elementos frívolos.


Estava tão entusiasmada para participar neste workshop que reservei imediatamente as minhas viagens para Praga mal soube que tinha sido aceite como participante.


Alguns meses depois, Junho de 2019 finalmente chegou. Para o workshop tinha preparado uma maquete à escala 1:50 do cenário que tinha feito para o projecto Exímia Sociedade, uma peça da Funâmbula_Grupo Criativo encenada no menor espaço de teatro que conheço no Porto - a Sala de Bolso da ASSéDIO Teatro.


(Apenas para referência, e por ser uma habilidade minha da qual me orgulho bastante: tinha um voo lowcost com bagagem de mão limitada onde consegui encaixar a maquete desmontável, bem como uma caixa inteira de materiais e ferramentas aceites a bordo, sem esquecer a roupa para toda a duração da estadia - e depois, ainda encontrei um espacinho precioso para alguns livros e souvenirs!)

O workshop decorreu na Theatre Faculty of the Academy of Performing Arts de Praga (DAMU). Aqui fomos muito bem acolhidos por uma equipa muito prestável e sempre pronta a ajudar que nos forneceu a maioria dos materiais e ferramentas de que precisávamos. Tivemos apenas quatro dias de trabalho, sendo um deles dedicado à montagem da exposição dos resultados finais do workshop. O cronograma era apertado, mas o ambiente relaxado e positivo. Foi muito interessante trocar experiências e explorar ideias com pessoas provenientes de tantos lugares diferentes do mundo que conhecemos graças a este workshop.


O meu projeto consistiu na adaptação da estrutura em X feita com fita-cola preta e amarela da cenografia inicial num grande quadrado branco dividido em dois na diagonal. Grosso modo, a ideia era criar dois espaços distintos fundamentais para a peça: um onde os personagens enfrentariam seus testes e outro onde receberiam as instruções ou aguardariam a sua vez.


Esta peça representava o teste final de um complexo processo de admissão a uma sociedade perfeita, a Exímia Sociedade, onde não existem desigualdades e injustiças. Para ter sucesso, os competidores teriam de enfrentar múltiplos testes físicos e psicológicos extremamente difíceis. A peça apresenta somente o teste final, que consistia numa confissão diante de um júri (o público).

Para esta adaptação tentei jogar com o que era visível ou invisível para o público. Assim, pensei numa imponente parede de cimento que é levantada até à teia quando começam os testes e revela um espelho bidirecional com uma porta de tamanho normal no centro. Os competidores atravessariam para o outro lado quando terminassem o teste ou para o fazer - em três dias não tive tempo suficiente para resolver todos os problemas dramatúrgicos que esta cenografia criaria, mas foi um bom exercício criativo e fonte de debate.


No quarto dia preparámos a exposição e recebemos os visitantes.

Quando o workshop terminou, comecei a minha experiência de voluntariado na Quadrienal. Através deste programa pude acompanhar Sam Trubridge com a sua performance Night Walk, que explora os estados nómadas e a navegação cega, e ajudei os visitantes a explorar a instalação imersiva e site-specific 36Qº que usava realidade virtual.

No meu tempo livre fui visitar as exposições da PQ e ver algumas das peformances. Fora da PQ, pude assistir a algumas outras grandes performances com meus companheiros de workshop: o balé "The Trial" no Estates Theatre de Mauro Bigonzetti inspirado na obra de Franz Kafka; "Macbeth - Too Much Blood", uma variação da peça de Shakespeare de David Jařab no Divadlo Na zábradlí; e uma performance tripla de dança de "Farm in the Cave: Refuge" e "Whistleblowers" de Viliam Dočolomanský, e "Navždy spolu!" de Hana Varadzinová e Eliška Vavříková no centro de arte contemporânea Dox.


Para resumir, esses 10 dias em Praga foram intensos. Ao envolver-me mais desta vez, pude conhecer pessoas incríveis que compartilham o meu interesse pela cenografia e também uma vontade de conhecer e compartilhar experiências com outras pessoas de todo o mundo. É uma oportunidade de conhecer o que se passa nos seus países através dos trabalhos que apresentam e de descobrir quais os principais interesses ou preocupações que todos temos em comum. Cada PQ foi um momento de abertura de espírito e de descoberta para mim. É fascinante.

Mal posso esperar pela PQ23!



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page